Don’t Panic: Sobre Atualização do Windows Phone 8 nos WP Atuais

22 de junho de 2012 6 comentários

Quarta-Feira. Windows Phone Summit. Assistindo ao vivo, uma perguta que há muito se fazia foi respondida. Windows Phone atuais, mais especificamente os Lumias receberão atualização pro Windows Phone 8, codinome “Apollo”?

Lá estava eu, ansioso, com fome (o diabo do evento começou 12:00 em Manaus), adorando as novidades, SD, NFC, código nativo (trabalhei grade parte da minha vida com C++ e adoro a linguagem), a linda confusão da nova Start Screen. E chega o momento.

Os Windows Phone 7.5  atuais não receberiam o Apollo, e sim uma versão chamada de Windows Phone 7.8.

Primeira coisa que veio na minha cabeça:

Nooooooooo

  1. Quem comprou os Lumias vão se sentir logrados.
  2. Ninguém mais vai comprar Lumias, para esperar a próxima geração.
  3. Fragmentação!

Rapidamente a maioria dos blogs começaram a malhação do Judas pra cima da Nokia.

“Windows Phones atuais não receberão a atualização para Windows Phone 8” – Dizia a maioria.

E os comentários…a, a ira de quem comprou recentemente…O escárnio dos Droids, o desdém da Tribo de Jobs.

Depois de levar uns esporros no Twitter, vi duas mensagens que me fizeram pensar:

We will bring the elements of WP8 to Lumia 900 that aren’t tied to the new hardware. @series11 @windowsphone

Nokia USANokia USA ‏@NokiaUS

@bazarnov Nokia will bring strive to bring WP8 elements to existing Lumias, including the more flexible start screen

Oras, se o sistema atual, WP 7.5, vai receber os “elementos” do Apollo que não estão ligados a Hardware que os modelos atuais nem sequer possuem, então o sistema vai trazer a experiência WP 8 pros Lumias. Então os modelos atuais vão ser atualizados!


Ohh yes, Sir!

É como as atualizações da Apple, só que eles diriam que o Apollo viria pros telefones atuais, mas nas versões anteriores, quando você fosse atualizar, notaria que não vieram algumas coisas, que o sistema veio “capado”. Como o caso do Siri que só roda no 4S ou quando eu tinha um 3G, não veio o multi-tasking com a vinda do iPhone 4. Seria mais inteligente? Provavelmente. Mas não seria sincero.

Se pensar bem, essa atualização foi imensa, foi uma mudança quase que completa. Mudou o Kernel, o coração do bicho! Seria como trazer o MacOS X pro iPhone e querer que nada ficasse pra trás.

Isso, Shared Core. Desenvolveu pra um, roda no outro.

Beleza, minha experiênca já vai ser a mesma do que dos Windows Phone 8.

Mas resta uma questão. E os Apps?

Todos os Apps desenvolvidos pro 7.5 rodarão normalmente no Apollo. O problema é o inverso. Como são “Kernels” diferentes, Apps feitos pro 8, especificamente, não rodarão nos anteriores.

Mas calma aí. O Windows Phone 8 será lançado lá fora em Outubro! Quando chega no Brasil? provavelmente 4 meses depois, Fevereiro de 2013. O Visual Studio pra desenvolver para Windows 8 ainda nem foi lançado, ainda está em fase de Release Candidate. Aí começaria essa situação, e você, que tem um Lumia, já vai estar usando seu telefone há mais ou menos um ano, que é o tempo médio que um usuário “antenado” troca de telefone. E o usuário comum? Esse é que não tá nem aí para esse assunto 🙂

E ainda por cima, ao desenvolver, se entendi bem a palestra, você vai poder escolher se quer compilar e publicar somente pra Apollo ou também para os anteriores. Você, como desenvolvedor, que quer o maior público possível, escolheria realmente publicar somente pro Windows Phone 8 e ignoraria os Lumias atuais? É, nem eu.

Então moçada, meu recado simplesmente é:

Tá a parte do “mimimi” ficou um pouco agressiva, mas foi a melhor imagem que eu achei 😀

Fiquem tranquilos e aproveitem seu Lumia. Eu mesmo espero ansiosamente pelo Lumia 900 que tá chegando.

Anúncios

Quer desenvolver pra Windows Phone? Pergunte-me como!

27 de abril de 2012 8 comentários

Olá pessoal, esse post é mais direcionado a quem quer começar a desenvolver pra Windows Phone, com experiência ou não.

Uma das coisas que eu aposto nessa parceria da Nokia com a Microsoft é que, o relacionamento da empresa de Redmond com os desenvolvedores sempre foi um dos seus pontos mais fortes. Então, obviamente a sua nova aposta não seria uma exceção. Mas antes de qualquer coisa deixa eu dar uns motivos pra que seja interessante você entrar nesse barco.

Por que desenvolver para WP? 10 motivos.

1 – A IDE é de graça. Basta você baixar o Visual Studio Express no seguinte link: http://www.developer.nokia.com/Develop/Windows_Phone/Tools/#wp , rodar e começar a brincar.

2 – A curva de aprendizado é rápida. Você pode usar C# e até mesmo Visual Basic. Se você sabe C++ ou Java, aprender C# é bem suave. E a IDE é muito funcional e fácil de se adaptar.

3 – Se você usa Windows, não precisa trocar de SO ou adquirir um Mac, por exemplo pra desenvolver.

4 – Portabilidade facilitada pra Xbox, no caso de um jogo. É, você vai poder criar jogos pro console, que podem ser comprados. Não precisa fazer parte de uma Software House para isso.É isso mesmo que você leu.

5 – Usando o sistema de distribuição da Nokia, os Windows Phones vão chegar a lugares nunca antes imaginado. Um explorador de guano da ilha Kiribati pode comprar um WP e comprar seu App antes que ela seja engolida pelo mar.

6 – O Marketplace da Microsoft já está em mais de 50 países e tem um critério de seleção um pouco rígido para que não entre vírus e crapware nele. Aliás, quando você submete sua aplicação ela é testada quanto ao consumo de hardware. Um relatório é mandado para que você a adeque, o que melhora a experiência do usuário com as Apps em geral.

7 – O Windows App já conta com 80 mil aplicativos, uma verdadeira explosão, começa a ficar relevante e ainda está no começo. É uma ótima oportunidade para publicar um App, pois nessa fase, a chance de já existir um com a mesma função do que você quer criar é bem mais reduzida.

8 – Os Lumias estão vendendo muito bem e superando expectativas. São “top-selling” na Amazon, nos dois primeiros lugares e já esgotou na ATT. A Verizon já vai entrar na onda também. O pessoal aqui na fábrica está trabalhando que nem formiga com deadline de entrega pra gafanhoto, ritmo acelerado.

9 – Para publicar um App, você entra em um programa de desenvolvedores e para isso tem que pagar por volta de U$ 80,00. Mas se você for estudante, você adentra o programa de graça através de uns códigos promocionais.

10 – O Windows Phone vai passar o iOS em 2015. Calma, calma, segure a sua pedra aí. Veja esse post no Techtudo. E com a compra da Motorola pelo Google, os fabricantes estão cada vez mais desconfiados ao manter o Android como sistema principal dos seus portfólios…

Olha essa parceria…

Ok, ok, por onde começo?

Uma coisa legal de desenvolver pra Windows, utilizando principalmente o Visual Studio, é que o que não falta é material e suporte ao Desenvolvedor. Mesmo você sendo um dev bem cru, verdinho mesmo, tem material. Seja o MSDN que é extremamente completo, seja o Channel9, que tem curso até pra quem não sabe nada de programação, seja em fóruns, ou até falando com os MVP’s, você consegue informação relevante. E o que era uma vantagem, acaba por começar a…atrapalhar. É tanta informação fragmentada de tantas formas que fica difícil filtrar. Aí que entra essa maravilha que conheci recentemente, a MVA, Microsoft Virtual Academy.

Qual seria o diferencial da MVA? Posso citar alguns. Foi, mal, mas sim, mais uma lista.

1 – É como um curso online, mas não em tempo real. Então você faz no seu tempo.

2 – Você mede seu progresso. Um curso X dá o total de 128 pontos, por exemplo. à medida que você vai avançando nos módulos, você vai ganhando pontos até atingir o total. É uma forma de mensurar o seu aprendizado.

3 – Com esses pontos, você vai subindo em um tipo de ranking. Através dele você pode comparar seu progresso com o de outros, dando um sentido lúdico ao sistema de aprendizado, dando mais motivação pra avançar.

4 – É em português, com video-aulas e texto.

5 – É estrutura organizada de forma didática pra que os submódulos se complementem, começando de forma simples até mais aprofundada de forma bem suave. 6 – Você faz uma auto-avaliação no próprio browser no final do módulo. Com isso você se motiva a fixar mais o que está aprendendo. E testa seu conhecimento.

Abaixo um exemplo do roteiro de Windows Programming:

Aqui um snapshot que tirei do fim da minha autoavaliação (10! yay!):

Brevemente estarei dando um Treinamento de Desenvolvimento de Jogos para Windows Phone. Tive que estudar sozinho pra aprender o que ia passar no curso. Adivinha onde aprendi? 😀

PS1 – Em breve, farei posts de como liberar seu Windows Phone para poder jogar seu app em desenvolvimento para lá.

PS2 – Ainda em breve, também farei um outro post explicando como postar no Marketplace.

PS3 – No nosso Brasil varonil, é um pouco mais chato publicar jogos porque exige uma certa burocracia quanto às nossas leis. Farei um post sobre isso também.

Categorias:Uncategorized

Windows Phones Apps – Must Have List

11 de abril de 2012 4 comentários

Olá Pessoal,

Um amigo meu que adora a Nokia e principalmente a Microsoft, na ânsia de largar seu celular atual e adquirir o tão esperado Lumia, me mandou o seguinte mail:

“Da lista abaixo, oq tem pro WP?

Twitter
Tweetdeck
Facebook
Gtalk
Mail for Exchange
Instagram
Whatsapp

Por ora é só.

Grato!”

Após sanar sua sede de WinApps, pensei em fazer um post pra ajudar os marinheiros a conseguir alguns apps que vocês podem achar interessante. Como uma parte interessante da experiência do usuário com o device são os Apps, vou apresentar um grupo deles.

Quando eu tive um iPhone, lembro que enchi de apps, páginas e páginas. E depois de um tempo, percebi que menos é mais. Percebi que a maioria eu quase nunca utilizava, e quando ia acessar o que realmente era útil pra mim, eles simplesmente estavam no caminho. Quando comprei meu segundo telefone, nem mesmo desbloqueei o bicho. Tinha umas 3 páginas de apps realmente úteis e se eu não usasse um eles ao menos uma vez no mês, eu simplesmente desinstalava. Então, dentre os 80 mil atuais aplicativos que existem atualmente no MarketPlace, encontrei a maioria que me agrada.

O Basicão

Facebook, YouTube, Acrobat, XBox Live Extras e Twitter.

The Essential Apps  Twitter

Essa listinha é basicamente formada pelos primeiros aplicativos procurados ao usar o telefone. Claro que o People Hub já absorve as funções do Twitter e Facebook, mas se você quer algo bem específico, aí está.

Sugestão

ConnectivityShortcuts Connectivity Shortcuts é uma mão na roda. Atalhos, meramente atalhos. Mas extremamente úteis. Wifi, Bluetooth, Rede e modo avião direto na sua tela de início.

Evernote  O Evernote transforma o seu telefone em uma extensão de seu cérebro.Esse aplicativo premiado ajuda você a lembrar e recuperar qualquer coisa que aconteça na sua vida. De notas a idéias a fotografias a gravações, coloque tudo no evernote e veja enquanto ele instantâneamente sincroniza do seu telefone par a a web e para o seu PC.

WhatsApp  WhatsApp usa sua 3G or WiFi (quando disponível) para enviar mensagens SMS para seus amigos ou família. Esqueça seu pacote de SMS da operadora.

Dropbox Mobile DropBox Mobile – Cliente pro DropBox, claro. Pra quem não conhece o serviço, não sabe o que está perdendo. Ele coloca basicamente um grupo de arquivos selecionados por você na nuvem, e pode acessá-los por múltiplas interfaces, desde a interface web, até um aplicativo no seu mobile. Interessou em fazer uma conta? clique no link e não perca mais seus arquivos importantes!  http://db.tt/GU9a3mw

Gchat GChat – Cliente para o Google Talk. Meio “beta” ainda, mas recebendo updates frequentes.

foursquare FourSquare – Cliente FourSquare.

Pulse Pulse. Leitor de Feeds RSS muito bacana, em forma de mosaico com Tiles. E o bacana é que ao abrir um link, ele dá uma formatada que deixa o texto bem legível. E claro, compartilhamento nas redes Facebook, Twitter, email e enviar via SMS é muito simples.

rowi [lite] Rowi – Excelente Aplicativo de Twitter, melhor até do que o oficial. De qualquer plataforma. A versão paga é mais poderosa em termos de notifications.

People FilterPeople Filter – Quantas vezes você precisou fazer uma ligação e demorou pra achar um contato específico? Com esse aplicativo, você visualiza somente os que têm número de telefone. Mão na roda.

SkyDrive SkyDrive – SkyDrive é o lugar certo para armazenar seus arquivos e acessá-los de praticamente qualquer dispositivo. O Windows Phone tem acesso interno ao SkyDrive diretamente dos hubs do Office e de Imagens. Ele também carrega automaticamente no SkyDrive as fotos tiradas para facilitar o acesso. Com o aplicativo SkyDrive para Windows Phone está ainda mais fácil gerenciar e compartilhar arquivos — tudo em um só lugar. Com a a última liberação do cliente pra windows estilo Dropbox ficou fantástico.

 

E abaixo alguns que fizemos aqui no INdT.  Alguns projetos como  o “Incredible Circus” (Que teve mais de meio milhão de downloads pro N9) e o “Frog” só puderam ser publicados na americana, mas estamos correndo pra disponibilizar pra cá 😀

Loterias  Loterias – Precisa dar uma olhadinha nos números sorteados da Mega-sena, Quina, Lotomania, Lotofácil, Federal, Dupla-sena e Timemania? Baixe agora o App Loterias para seu aparelho celular e pesquise números sorteados, valores dos prêmios, datas de sorteios e muito mais. Você também pode escolher os números que aparecem em Palpite para fazer o seu jogo. Boa sorte 🙂

Fuel Com o aplicativo Fuel você confirma qual a melhor relação custo-benefício entre Etanol e Gasolina quando estiver abastecendo o seu carro. Você poderá também calcular o consumo do seu carro em uma viagem indicando a distância, o número de litros que você abasteceu e o tipo de combustível utilizado, além de dicas sobre os tipos de combustível e como economizar mais.

Bom, acho que com essa listinha já dá pra começar. Cada vez mais aplicativos vão aparecendo, e começa a suprir a carência de usuários que vêm de outra plataforma. E por fim, além de você ter um smartphone bonito, com uma boa performance, bateria durável, e sistema rápido e intuitivo, seu telefone vai também ficando cada vez mais útil ao seu dia-a-dia.

Mais aplicativos podem ser encontrados no link:

http://www.hanselman.com/blog/ICantEvenThinkAboutSwitchingPhonesWithoutTheseAppsWindowsPhone7ANokiaLumia800AndTheEssentialApps.aspx

PS1 – O nome do post é em homenagem a um amigo, que odeia listas com nome de “Must Have”, porque ele sente de alguma forma que alguém o está ordenando a baixá-los. É, ele é meio paranóico.

PS2 – O autor do e-mail do início na verdade é usuário Android xiita, que estranhamente veio com esses questionamentos 😀

PS3 – Bom videogame, mas prefiro o X-Box.

Categorias:Uncategorized

Afinal, o Windows Phone é Multi-Tarefa ou não?

30 de março de 2012 4 comentários

Com os lançamentos dos Lumias, muita gente começou a colocar a mão nesses fantásticos dispositivos. E finalmente algo que era meramente um conceito chegou ao grande público. De todo tipo, leigos, geeks, fanboys, desenvolvedores. Alguns ficaram extasiados com a experiência e correram pra adquirir o seu. Outros, gostaram, mas preferem seus dispositivos anteriores, sem citar razão, simplesmente porque gostam deles.

Outros, se resumiram a atacar a novidade, incluindo citando características técnicas.

Chegaram inclusive a dizer que o sistema não é multi-tarefa.

Inclusive chegaram a mencionar que, o que o WP faz é meramente guardar atalhos para as aplicações.

O que é um…grande equívoco.

No Windows Phone, o que ocorre simplesmente é que o foco é o gerenciamento de recursos para um gasto mínimo possível e otimização da performance.

Antes de qualquer coisa: Um celular tem recursos de hardware finitos e concorridos. Planos de dados 3G são escassos e caros.

Pra entender isso, você precisa entender os estados de um aplicativo Windows Phone.

Ciclo de Vida de um WinApp

Estados da App

Estado 1 -Running –  “Rodando”

Você clicou no tile de aplicativo. Ele abriu e está ativado, pronto pra você utilizá-lo. Ele é prioridade pra você, e se você está utilizando, é o mais relevante para o seu uso no momento. Logo, é interessante que ele disponha do máximo de recursos possíveis pra que ele rode o mais “liso” possível, sem travadas.

Estado 2 – Dormant – “Dormente”

Você abriu outro aplicativo, ou clicou no botão “Windows”. Logo, outra atividade se tornou mais relevante para você. Então o aplicativo anterior fica em estado Dormant. Ele ainda está vivo, sua instância continua criada, mas ele têm seu acesso a recursos muito restritos. A instância permanece viva pelo fato de como você acabou de sair da aplicação, pode querer voltar em breve à ela. Você pode ter saído pra fazer algo pontual. Então ela mantém em memória os dados populados. Apesar disso, é importante guardar os dados que estão populados no disco local. No próximo estado veremos porque.

O interessante é que, nesse estado, se você quiser que o Aplicativo continue fazendo algumas atividades, por exemplo, tocando uma música ou consumindo dados, ele pode usar um recurso chamado “Background Agents” para isso.

Estado 3 – Tombstoned – “Enterrada”

O SO verifica que sua aplicação está dormente por muito tempo, que sinaliza que você também provavelmente não tem interesse em utilizá-la mais. Logo, não faz sentido, apesar de ainda ter seus recursos restrito, ainda ocupar lugar na memória. Logo, pra preservar ainda mais o harware e valorizar a performance, a aplicação é “Enterrada”.  Ela continua na lista de aplicativos abertos, mas a sua instância é deletada da memória.

Estado 4 – Closed – “Fechada”

Você estava com a aplicação aberta e, ao invés de clicar no botão “windows”, colocando a aplicação explicitamente em memória, você apertou no botão “voltar”, que sinaliza que você fechou a aplicação, não quer mais usar. Ela é fechada completamente, e sai da lista de aplicativos “abertos”.

Em suma, se o usuário abrir a App List, e clicar no aplicativo anterior, se ele estiver Dormant, ele volta pro Foreground como estava. Mas se você ficou sem acessá-lo por muito tempo e o SO colocou ele pro estado Tombstoned, ele volta, mas como a instância dele foi deletada, ele não vai popular os dados automaticamente.  Pra isso, como falei no estado 2 que você salvou os dados no disco local; se ele voltar do mundo dos mortos, ele localiza os dados guardados, e se popula novamente.

Eventos Chamados para mudança de Estados

Com esse novo tipo de paradigma, o SO visa basicamente:

– Otimizar recursos

– Diminuir uso da bateria

– Otimizar uso do consumo de dados

– Processo relevante em primeiro plano

– Processos menos relevantes em segundo plano

Logo, não é que o Windows Phone não é Multi-task. Ele é. O lance é que ele “parece” não ser. A idéia agora é não é tratar um aplicativo que não está sendo usado como o Windows trata hoje, simplesmente minimizando ou tacando no tray.  Porque deixá-lo consumindo memória,bateria, ou ocupando ciclos do processador? A não ser que o programador deseje isso explicitamente, que seja relevante pra sua aplicação. Aí ele usa os tais “Background Agents”.

Interessante que vemos esse mesmo tipo de conceito é utilizado no iOS, e ninguém tenta gritar aos quatro ventos que ele não é multi-tasking. Sinal que o Windows Phone já está incomodando…e os argumentos estão ficando cada vez mais escassos. O Marketplace da Microsoft já está com 70 mil aplicativos. E contando.

Categorias:Uncategorized

O Ecossistema

13 de março de 2012 Deixe um comentário

Semana passada foi lançamento do “novo” iPad. O Tablet, que já era animal, ganhou mais umas “cositas” que o tornou ainda melhor. A resolução, o gerenciamento das fotos. Mas o que estava de olho mesmo era no lancamento da Apple TV. Principamente depois do anúncio recente do Mountain Lion pro Mac. Por quê? Pelo ecossistema que a Apple está cada vez mais correndo atrás. Porque eles sabem que esse é o futuro da tecnologia na vida das pessoas. Não só mais um produto revolucionário, e sim a extensão da experiência do usuário com os produtos existentes e por outro lado ainda fidelizando os clientes. Você pode não estar percebendo, mas as empresas já estão correndo pra isso.

Não entendeu? Foi de propósito :D. vamos por partes.

O que é o Ecossistema?

Como citei nos posts anteriores, hoje em dia as fabricantes perceberam que, além de features,  deve-se valorizar a experiência do usuário com seu dispositivo. E essa experiência se resume a Entrada e Consumo de dados, além da Mobilidade. É, só isso. Mas o pulo do gato atual é prover essas coisas, da forma mais confortável, nas ocasiões corretas e de um modo que seus dados estejam sempre lá. E que você não tenha que se adaptar entre a experiência de utilização entre os dispositivos…que seja completamente fluida e intuitiva. Isso é o que o Ecossistema vem prover.

O Ecossistema são divididos, atualmente em 4 pilares. Coloquei notas pra categorizá-los em termos de experiência, que vão de 0 – Inexistente a 5 – Ótima.

1 – SmartPhone – Consumo de Dados: 2, Mobilidade: 5, Entrada de Dados: 4

O pilar mais móvel. Está sempre com você já que é um telefone. Então, pra não ser desconfortável, deve ser pequeno o suficiente pra ser portátil. Com essa características, é o device perfeito pra fotos eventuais, e consultas rápidas às redes sociais, mensagens e Compromissos. Com seu teclado bem adaptado às mãos, especificamente aos dois polegares, é um bom dispositivo de entrada de dados rápidas. Bom também pra consumo de músicas e utilização de Apps úteis no cotidiano.

Ex.: Nokia Lumia, iPhone, Samsung Galaxy, PS Vita

2 – Tablet – Consumo de Dados: 3, Mobilidade: 4, Entrada de Dados: 3

Pilar também móvel, “pero no mucho”. Tela maior impede de levar no bolso, e a Entrada de Dados não é boa, já que, segurando com as duas mãos, toda a extensão do teclado não é alcançada. Acaba-se usando então com uma mão segurando, outra digitando, geralmente o indicador. Porém a tela maior ajuda a consumir dados melhor do que no SmartPhone, e quase tão bem como no PC. E diferente do PC, ele é muito menos trabalhoso pra se transportar, mesmo dentro de um mesmo ambiente.

Ex.: iPad, Galaxy Tab, um futuro “provável”  Tablet Lumia.

3 – Computador Pessoal/Laptop – Consumo de Dados: 3, Mobilidade: 3, Entrada de Dados: 5

O Pilar ainda menos móvel. Mas como a tela é geralmente maior que do tablet, e a entrada de dados é imbatível, tirando a telecinese. É o mais confortável de se consumir e inserir dados. Mas é chato de transportar. Geralmente, o trabalho corporativo é feito nele, já que geralmente tem um Hardware decente.

Ex.: Macbooks, Laptops Windows, Laptops Linux, Chromebook.

4 – Media Center – Consumo de Dados: 5, Mobilidade: 1, Entrada de Dados: 2

O Pilar praticamente imóvel. Mas tem um consumo de dados como principal foco. No caso, ele é o cara que você vai querer consumir a mídia que você baixou com os outros pilares, como filmes e jogos. Nada melhor do que você sentar no sofá, e ver um filme na sua TV, por exemplo. O único problema é o fato de que Entrada de dados é muito limitada. Até porque você provavelmente vai estar distante. Mas coisas como controle por gestos ou voz, além de poder usar o Celular como controle, melhoram essa experiência.

Ex.: XBox, Apple TV, Google TV, TVs Inteligentes(Samsung, Sony Bravia, LG), Playstation.

A Day in the Life

Então, qual é a grande sacada? A mudança no seu dia-a-dia.

– Em trânsito, use seu smartphone, claro. Redes Sociais, Músicas, Fotos, GPS, até Chat, sempre com você.

– Na sua estação de trabalho,  mudança de contexto pra Laptop. Nesse momento, não é necessário mais nenhum dos outros gadgets. Consumo e inserção de dados de forma confortável.

– Chegou em casa.

Vai ler? Pega o Tablet. Dá pra sentar no Sofá ou na cama e se divertir.

Vai jogar? Se o Media center for um Console de Vídeo-Game, acesse o conteúdo da nuvem, baixe seu jogo e bom divertimento.

Vai ver um filme? Liga o Media Center, prepare uma pipoca e aproveite seu sofá e sua TV de dezenas de polegadas. Ou pegue o tablet, e como o conteúdo está centralizado na nuvem, sente no seu quintal, puxe uma cerveja e have fun.

E como já disse, se você usa os produtos do mesmo ecossistema, seus dados estão sincronizados na nuvem dessa solução. Como exemplo, temos o Skydrive, da Microsoft e o iCloud da Apple. E o modo de interação com o dispositivo sendo o mesmo, a mudança de contexto é imediata. Por isso a Apple está correndo pro Mountain Lion e Apple Tv. Por esse motivo, a Microsoft vai unificar seus pilares pra rodarem todos com o mesmo Windows 8 e a mesma interface Metro.

Então veja o que falta pra completar sua coleção e curtir essa experiência em sua plenitude.

– Se você quer ir pro Ecossistema da Apple, tem que ter um iPhone, um iPad,  a Apple TV e um Mac. Meio caro, mas estão montando direitinho.

– Se preferir o ambiente Microsoft,  Um Laptop com Windows, um X-Box, um Windows Phone e o Tablet Windows. Mais em conta, principalmente se você já tem um PC com Windows. E ainda ganha um video-game de lambuja 😀

– Se quiser ir pro Google…esse ainda tá tentando se encontrar.

Nokia e Microsoft – Por que vai dar certo – Season Finale – O Terceiro Player

Continuação da série de artigos “Nokia e Microsoft – Por que vai dar certo”. Pra ver o post anterior clique aqui.

Connecting People – Put People First

Duas Marcas fortes. Uma especialista em Hardware, que costuma ser imbatível. Outra especialista em Software, que conseguiu fazer um ótimo trabalho e sempre manteve um ótimo relacionamento com os Desenvolvedores. Provavelmente um preço agressivo. Surge mais um Player muito forte. E pelo meio de duas empresas, que têm por característica, se reinventar.  Mas ainda não bati no ponto forte, no maior trunfo, na coisa que realmente vai revolucionar o modo como nos relacionamos com nossos gadgets: O Ecossistema. Mas isso é assunto pro próximo post, em breve.

Nokia e Microsoft – Por que vai dar certo pt.7 – Nokia strikes back

Continuação da série de artigos “Nokia e Microsoft – Por que vai dar certo”. Pra ver o post anterior clique aqui.

Nokia Strikes Back – Microsoft Joins the Party

De repente o Android virara um Frankenstein. Com a experiência do Meego, a Nokia simplesmente tomou uma decisão drástica. Não queria ser mais do mesmo abraçando o sistema do Google. Não queria o lugar comum das telas com ícones clicáveis, aliás, coisa que ela mesma criou, queria algo diferente. Mas não restava muito tempo, pelo “time- to-market” ela estava bastante atrasada, e as séries “low-end” não iam segurar o tranco por muito mais tempo. Não iria seguir o desenvolvimento do Meego, não poderia mais se dar ao luxo de fazer algo do zero. Olhou o mercado pra ver o que tinha de interessante e já pronto, ou quase. Então a Microsoft, que tinham o novo Windows Phone 7 no LG e no HTC, mas  de forma um tanto  tímida, e a Finlandesa, não sei por iniciativa de quem, sentaram pra uma conversa. A Microsoft queria se recuperar porque também ignorou o mercado e achou que o Windows Mobile ia viver pra sempre, correu atrás e criou uma nova metáfora, os Tiles, experiência positiva do Zune. Juntando, a Microsoft, cuja especialidade é desenvolver software, e a Nokia, que tem um “Brand” forte em Hardware. Pode dar certo.

Surge o projeto Lumia. O Hardware do N9 era muito bom. Aproveita  o bicho. Windows Phone é muito bom também. Junta um com o outro, quase um ano depois e têm-se os Lumia 800. Tive a oportunidade de tê-lo em mãos na Campus Party em 2012, usando no dia a dia por uma semana. Achei fantástico. Da Nokia, como já dito, pegou o design do N9, e os já tradicionais durabilidade da bateria, robustez, câmera de altíssima qualidade. Da Microsoft, toda experiência com erros e acertos em décadas de desenvolvimento de software, culminando em um SO bonito, prático e robusto. Juntou também uma integração visceral com as redes sociais.

“Hands-on” no Lumia 800.

Coloquei minhas contas do Live, Face, Twitter e Google  e de repente parecia que eu tinha esse telefone à séculos. Contatos e Calendários sincronizados, Timeline mesclada e disponível, celular conectado no Live, Gmail baixado e operante. Junte a isso que o Office já vem nativo, juntamente com o Nokia Drive Offline, que é fantástico(A Nokia gastou uma boa grana nisso) e as “Capabilities” do Bing, pra uma busca interna bem efetiva. E o melhor, sem eu perceber, minhas mídias foram sincronizadas no Skydrive!

E não é só isso! Lembre-se que a Microsoft teve aquela experiência com o Zune, então, o tocador de mídia nativo é o próprio. Inclusive a Interface metro nasceu dele. Logo a experiência com Mídia e Vídeos já foi experimentada e lançada como produto final. E não decepciona. Adorei não precisar do maledeto iTunes. Uma das razões do Jailbreak que fiz no iPhone foi justamente pra poder usar outro gerenciador de mídias.

Só faltam as Apps.

Mas até nesse aspecto, good news. A Microsoft disponibiliza uma IDE  fantástica para desenvolvimento de software O Visual Studio Express for Windows Phone, especificamente. A curva de aprendizado da IDE é simples, a linguagem é C# ou VB, E se você for estudante, tudo é de graça.

Somando o fato de que a Nokia vai lançar modelos do “mid-range” pro “High-end”, e o fato da Market Place da Microsoft não permitir aplicativos porcaria, está sendo muito atraente pra novos desenvolvedores. E com isso, a quantidade de Apps está crescendo muito(de 7K para 65K), inclusive os Ports de aplicativos que já existem em outras plataformas, essa é uma grande oportunidade dos devs monetizarem também com essa nova plataforma. Dessa forma, o gap de apps tende a diminuir agressivamente inclusive, com o port de alguns já existentes. Além do mais, Institutos Nokia do mundo inteiro, inclusive o de Manaus já possuem equipes trabalhando em vários projetos de apps para que isso não seja um ponto negativo pra quem pensa em comprar um WP.

Por fim, no próximo artigo, a conclusão dessa estratégia no post Season Finale – O Terceiro Player